quarta-feira, 26 de julho de 2017

Cansaço.

Sinceramente eu não gosto de escrever posts assim porque o blog está um pouquinho maior do que eu esperava que ele ficasse (sim, estou tendo bastante visitas diárias), e eu talvez esteja começando a não encontrar aqui mais o meu ponto de desabafo. Eu sei que a ideia de um blog é exatamente escrever para outras pessoas, mas não tenho certeza, no início o plano era que isso fosse um site, e eu passei por uns problemas e o blog foi ficando cada vez mais pessoal, até que chegou ao ponto em que ele está hoje, meu confessionário, meu ponto de desabafo. 

Basicamente eu to chateado com várias coisas, a vida "real" é um saco, as pessoas em geral são uns demônios, então a gente vai ficando cada vez mais na internet porque aqui nós nos sentimos mais fortes, o conhecimento está a um Google de distância, e nós pesquisamos, aprimoramos, entendemos várias coisas, temos acesso a informação que nossos pais na nossa idade não tinham nem como imaginar algo desse porte, e agora está tudo aqui, entre de bandeja, e as pessoas pesquisam, estudam, ficam inteligentes, mas  não ficam mais sábias, nem mais humanas, estou cansado, eu já tive tanta raiva dentro de mim, e era uma raiva contra tantas coisas e pessoas e eu superei isso, e, talvez, essa tenha sido a maior merda que eu já fiz na minha vida, a raiva saiu e deixou um vazio que eu não sei bem como preencher. 

Eu corri atrás de religiões, e elas não me completaram, eu trabalhei MUITO minha empatia e isso também não me completou, na verdade me deixou ainda pior, pois vejo um mar de injustiças que eu não estou nem perto de conseguir melhorar. E no meio de toda essa montanha russa eu conheci pessoas que fizeram a questão de me destruir mais um pouquinho, e eu não consigo sequer odiá-las, eu nem sei mais o que eu sinto, ou se eu sou capaz de sentir. 

As vezes eu lembro daquele menino gordinho, revoltado, arrogante, cheio de certezas, e vejo que a ignorância é uma bênção que eu deveria ter lutado mais para abrir mão. Não que eu não seja ignorante agora, mas eu nem conheço mais a pessoa que eu era há uns anos, e posso dizer que sou muito melhor, e posso dizer também que sou muito menos feliz.